Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

How Everything Changed?

How Everything Changed?

29
Ago16

Voar

Eu sou como o vento. Passava sempre várias vezes no mesmo sítio mas saí deste sitio. Mudo de ideias facilmente mas rapidamente tenho a mesma ideia. Só indecisa. Mas sou assim. Gosto realmente de quem o meu nome chama. Gosto de muitas coisas em mim, sei que tento ser sempre melhor... Adoro-me divertir com os meus amigos ou irmãs, tenho sempre disposição para experimentar algo novo. Adoro definir bem a minha vida, mas sei que não vai acontecer o que defino. Gostava de ser um passarinho, ser livre como ele. Bater as minhas asas que estão cobertas por uma humana simples, que se disfarça... Simples, mas quero bater essas asas, quero as conhecer. Imagino que sejam azuis e de diamantes, ou brancas com muitas penas... Gostava de dançar como agora cá estou a cantar e a dançar "Vuelo". Ser diferente não é o quero, mas sim deixar a minha marca. Que se divertem a pensar em mim e que sorriam :-) Quando fecho os olhos sonho tanto, sinto que todo podia ser diferentes. Sonhando que posso ir até novos países, descobrir algo. Conhecer países desconhecidos. Aqui na terra já todos os países conhecemos, mas há mais. Fora, temos que nós aventurar e conhecer! Voar sem medos! Reconhecer cada pormenor novo, descobrir algo..

Não tenho medo de dançar, não tenho medo de cantar, definir os passos que agora aqui faço! Não tenho medo de nada disso tenho apenas medo das pessoas e do que elas fazem. Tenho medo de perder alguém que ame. Não tenho coragem escrita, mas sei que ela existe em mim e vai sair. Sair como algo devastador, sair no momento que realmente vou precisar. Pode ser bom ou mal, não sei... Posso imaginar todo o quiser, posso o fazer mas não sei se vai acontecer. Mas não pago imposto a imaginar... Ás vezes são coisas tão reais... Sei que não vou ser sempre a menina que agora sou. Sei que vou ter que tomar decisões, mas agora quero aproveitar. Para cantar e dançar já que me faz sentir tão livre. Sei que vou ter sempre esse sorriso, sei que vou conservar isso. Se fizer alguém feliz a sorrir, quero o fazer. Quero que esse sorriso se mantenha tenha eu os anos que tiver, que tenhas as mudanças todas. Quero que este sorriso permaneça.  Quero voar, tenha as asas que tiver, que sobretudo sonhar, divertir-me. O futuro parece me bom e mau mas há sempre voltas. Sei que o vou conseguir " manipular". Tenho que me divertir, tenho que me animar sempre que tiver triste!

 Resultado de imagem para passarinho a voar tumblr

*ok eu hoje estou demasiado sonhadora e este post não parece meu mas hoje deu-me para aqui...

Beijinhos da Only one Girl

26
Ago16

Ambições ( frases, adolescente, anos, vida)

Leio, relei, fotografo, vejo, edito, pinto, sorriu, choro, dormo, vivo, viajo, faço. A vida material podia ser descrita em poucas frases. Mas uma vida com recompensas, uma vida feliz, uma vida recheada não podia ser descrita em banais frases como todo o mundo está cheio. A vida importante não é a material, não é o que fazemos. Mas sim o que sentimos, o que mudamos, é está a vida interessante. A vida que não é a banal frase de revista, é a frase importante que impõe algo sacrifícios, sofrimento. Mas é a vida que por de trás interessa. Ok, sou a banal rapariga de 13 anos que quer mudar algo, que quer deixar a sua marca, que quer melhorar algo. A banal rapariga que nunca viveu muito, que não sabe os sacrifícios da vida, a banal rapariga que se calhar daqui uns anos pode estar perdida ou não. Mas tenho isto, os textos que comprovam que assim já pensei, algo que pode dar a reviravolta. Mas temos que construir o nosso futuro para o lado melhor, mesmo que nós troquemos-nós de lado. A sempre uma luz no fundo do túnel, mesmo que não haja para o nosso futuro. Temos as armas podemos construi-la. A que ter criatividade, nunca ninguém chegou ou topo de algo com pressa, todo se foi construindo... Mesmo com todo o sofrimento a sempre uma mão que está estendida para nós ajudar, a que descobrir a certa. O nosso futuro resume-se a tanto e a tão pouco. Muitos querem ter uma carreira de topo, outros seguir os seus sonhos, outros ter uma família. A vida passa, amanhã tenho 14 anos depois 15, e chego a maioridade rapidamente. Tenho objetivos para todo mas não sei a vida que me vai abalar. Mas a vida tem objetivos definidos para mim, e eu tenho objetivos para ela. Temos que coicidir ou tentar fazer isso. Acredito que cada pessoa que cá está é com uma missão, não nós é revelada. Mas essa missão é determinada e apondera-se sobre nós, mas a missão não escolhe os lados com quem temos que agir, apenas tem o poder de nos guiar em ambos os lados. Nós próprios é que temos que ter os nossos lados bem definidos. Agora com 13 anos tenho o meu lado bem marcado, apoio o lado do bem. Sim por que com essa idade já temos que ter os lados bem marcados, as nossas decisões podem já influenciar pessoas ou a nós próprios... Eu agora quero ter várias frases marcadas e não simples frases banais... O se calhar são sonhos demasiados para já, mas eu tenho uma ambição dentro de mim que quer que todo se concretize. Eu sinto-a, ela quer ser expulsa, se movimentar. Essa ambição que pode ser levada por dois caminho, caminhos esses na qual tenho bem presente na memoria o bem. Quero-o, segui-lo. Mesmo que me tenha que sacrificar, ter coragem, esfular-me, quero provar que sou capaz de o seguir. Quero provar a mim própria que sou capaz. Que posso ser uma simples adolescente, mas que tenho ambições. Sei que tenho todas as armas dentro de mim, tenho todo o que preciso. A pouco tempo é que tenho percebido realmente o que a vida nós deu ou não, o que temos ou não. A vida não é traçoeira nós é que a movemos para ser... Agora estou simplesmente a escrever, mas tenho que agir. Mas acredito que apenas já ter esse pensamento fixo na minha cabeça é um começo. Agora é só caminhar e não ter medo...

Resultado de imagem para caminhando tumblr preto e branco

*desculpem se este post estiver demasiado confuso...

Beijinhos da Only one Girl

24
Ago16

Ergue-te

O toque de um piano, que sinto da pulsação das minhas veias. Sinto, a sua vibração. O toque do eco e a pulsação de o meu coração coincide. Como algo exato. Gostava de ser um piano, na qual posso tocar sempre um nova melodia, uma nova nota e uma nova etapa de vida. Posso não o ser, não não sou um piano. Mas posso imaginar e agir como, se fosse um piano. Hoje canto uma melodia feliz, amanhã canto uma triste mas vou conseguir achar outra feliz. A vida pode se assemelhar a um piano, mas um piano único. Só que nós próprios idealizamos. Algo privativo... A vida tem sempre fases más e boas, mas saímos sempre das más. Sempre, só se não o quisermos. A sempre uma luz, uma nova tecla a tecla para mudarmos todo. Mas não não podemos ficar parados, a busca desta tecla. A tecla tem que ser buscada, mesmo que só quiséssemos estar deitados ou a chorar. Os corajosos e os guerreiros, são aqueles que se levantam, mesmo sabendo que vão cair. São os que mesmo com todas as feridas erguem-se. Nós é que o decidimos, o que fazer. Se queremos ser guerreiros, se queremos buscar uma nova peça deste piano. Não voltar a fazer o conhecido... Só tu é que o decides fazer ou não. Mas não deixes oportunidades para fazer, deixa a tua mensagem escrita. Deixa que te conheçam e que todo saibam que eras quem realmente eras. Tens todos os sentimentos dentro de ti, mas tu é decides usar ou não. Tu é que decides quem és... Não deixam que te definam, sê livre, sê quem quer ser. Os sonhos realizam-se, todos não mas também tens que fazer para que se realizam. Realiza-te a ti próprio, mostra quem és o mundo. Mostra o que vales, e o que podes fazer. Que não abonadas uma luta, um campo de guerra. Deixa o teu piano guiar a tua nova melodia. Vive-a, não canta-a só, se decidires dança com todo a emoção! Sem quem queres que seja. Solta-te do que não te deixa fazer o que gostas, mesmo que te doa, mesmo que te fere. Se achas que é o melhor faz-o. mantém o teu sorriso na cara, és mais forte do que pensas. És o, somos feitos de carne sim somos. Mas está carne aguenta tanta coisa, consegue suportar tanta dor, alegrias e tristezas. Essa carne que só tu tens dentro do teu corpo e tua, e é mais conhecida do que o ferro. O ferro pode ser mais resistente, mas então por que não somos feitos de ferro? Há uma razão para todo o que está construido neste mundo. Há a razão de termos sentimentos, de termos a nossa carne, o nosso coração e a nossa cabeça. Um dia vamos aprender como relacionar todos este nosso sentidos psicológicos. Tu és forte, e podes ser que quiseres! És quem decides ser, se decidieres não ir a luta se calhar não te vais sentir recompensado. Mas a luta acontece por alguma razão, luta-a com as tuas forças e sentidos. Não deixes que te " matam " lá. Não deixes que te façam fazer o que não queres, segue as tua opiniões a risca. Tu és único no mundo, e tu é que decides ainda se queres ser mais único. Todo isto é um quebra-cabeças na qual andas a jogar na vida inteira. A vida pode se relacionar sendo tanta coisa. Basta termos imaginação...

*foi o que já ando a sentir a muito tempo e a querer expressar

Beijinhos da Only one Girl

22
Ago16

Dor!

Escrevo, apago-o, " Back Space" novamente. Abro uma pagina e fecho-a. Tanto que quero dizer, tanto que tenho que deitar para fora. Algo me pesa. As lágrimas ameaçam-me sair da cara enquanto há um sorriso falso. As lágrimas não me saem, e quero que saem pelo menos todo o que me pesa sai de mim. Quero ficar sozinha com a minha música, quero ficar com o meu peso. Com os meus pensamentos revoltados. Não quero ver mais ninguém. Todo está diferente, não percebo o que. Mas doí, mais do que penso. Algo vai correr mal, eu sei-o. MAS NÃO O CONSIGO DESCOBRIR. Isto e tantas outras coisas, é mais um lema da minha vida. Agarro as minhas mãos, doem-me os nós dos dedos que ficam brancos com a força. Tento equivilar está dor física o que estou a sentir interiormente, mas não dá. Não se equivale, por que está dor não está ligada a algo por descobrir. As lágrimas não se rompem, mas pesam-me, mesmo sendo invisíveis. Doei-me tanto... Só só eu, a minha dor, a minha música e o pc. Queria ter alguém que me perceber, queria ter alguém para me mexer no cabelo até adormecer, queria ter alguém para me mostrar sítios que recompensam todo, queria ter alguém ao meu lado... Não tenho. É uma realidade. Não o mostro, nem me dedigo-me a mostra-lo a alguém, sou demasiado orgulhosa. Mas pesa tanto... A mágoa penetra-se por mim a dentro como se viesse do ar tóxico que respiro. Sou a causadora disso, sei-o mesmo não sabendo o que sinto, não sabendo o por que e o que vai correr depois disto. O meu sorriso desvaneceu-se. Tenho cada vez melhor ocultado o que sinto, o que me pesa. Cantando no que me identifico, todo piora mas não quero sair. NÃO QUERO, sair da minha cela, mesmo tendo a chave. Não quero mostrar o que sinto a alguém, mas também não quero o sentir... O QUE DEVO FAZER? O destino traço-me um rumo, mas parece que a inverter este rumo apenas me magoou. Mas quero ser eu a traçar todo o que faço, não quero que haja uma história a apresentar antes de agir. Antes de nascer. Quero ser eu em todos os momentos, não o meu sub consistente. Metáforas que me vêm a mente... O que mostro, mas com mais significado mais do que as meras palavras que aqui comunico ou apenas tenho numa conversa. Quero voltar ao clássico!  Dor profunda, com uma dor sem medicação. Uma dor que não tem nome cientificamente... Todas as recordações, todos os meus sonhos, pesadelos, memorias vivas, fotografias. Todo apenas me faz que a ferida alargue-se mais. Sinto nostalgia, sinto que podia ser todo perfeito, novamente, sem problemas. Conduzir a uma estrada perfeita sem nada do que estou a sentir. " A felicidade, não é confortável, a felicidade tem de ser buscada...". Eu sei, tento o imaginar a concretizar nos meus sonhos. Mas não consigo, não acontece. Mesmo enquanto tento adormece que tudo como conta de mim... Luto-o para conseguir, sim eu luto! Mas não lá chego e parece que apenas há nevoeiro para sempre. Mesmo que todo continue assim sem sentimentos. Não resisto, caio, levantando-me lentamente vendo as minhas feridas. Na qual não podem ser resolvidas com apenas um curativo, feridas que não me deixam caminhar apenas gatinhar. Pela estrada que vejo que não tem fim... Perco-me, não me lembro de nada do que mais preciso para chegar ao final da estrada, apenas o mal que sinto. ( uma metáfora) Não sinto melancolia diretamente, mas sinto a apatia vindo de mim. A apatia que não me faz ter reação perante algo que devia estar a chorar completamente. Como no filme na qual é obrigatório chorar não acontece. Amanhã pode estar melhor, mas não vou achar a resolução assim tão facilmente com uma noite de sono. Não tenho quase momentos destes, por isso são tão profundos, longos e distantes daquilo que eu sou. Quero chorar, pelo menos não me sentia tão mal. Mas algo dentro de mim está a prende-lo. Mas assim ainda mais doí, as lágrimas iriam me aliviar. A dor pode ser escondida durante escassos minutos mas ela volta, com mais intensidade. Ontem nada sentia perante estava situação todo estava tão bem, a correr tão bem. Sem estas mudanças repentinas na personalidade. E desabou, já esperava era verdade, está demasiado tempo bem... Não sou só uma rapariguinha que gosta de coisas de crianças, não sou uma menina pequenina! Estou farta que me tratem assim, mas sei que não é apenas isto que se está a passar...  Doí me as veias profundas do meu sangue, fazem me ainda me doer mais continuar em pé e raciocinar. Quero apenas ficar sozinha e ouvir música, sem dores profundas ou cortes físicos. " Todo vai melhorar..."

*...

Beijinhos da Only one Girl

 

22
Ago16

Mensagem que recebi

Nós somos perfeitos, com as nossas imperfeições! Que tem medo errar é porque é uma pessoa consciente e responsavél. Não tenhas medo de lutar, só assim te vais verdadeiramente encontrar e definir o teu verdadeiro ser. O post não tem nada de estranho, todos nós temos a nossa luta interior. Bjs

Tens razão, não o somos mas esqueço-me muito de isto. Pois... Eu quero luta enfrentar e lutar mas vou abaixo... Obrigada beijinhos

 

19
Ago16

Quem realmente sou?

uma rapariga fechada, muito reservada transmito os meus pensamentos por este meio.  Fechada como pôr 4 paredes, mas sim com uns fones e música e os seus pensamentos, que raro é o dia que saem das profundezas do poço de metros e metros que precisam da pressão que não carrego para eles se exporem. Poço este que está cheio do que sou, rosas, animais velozes, animais mansos, todo o que me caracterizar. Aprendi tanta coisas nestes últimos anos da minha vida. É como se tivesse aprendido a andar outra vez, mas sim a andar na estrada que é a minha cabeça, a estrada com que tenho que ter tanta precaução. Não sou ninguém de especial no mundo, como diz uma frase que acho que significa tanto: "Quando vier a primavera Se eu já estiver morto As flores florão Da mesma maneira Que na primavera passada A realidade não precisa de mim Sinto uma alegria enorme Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma". A natureza vai continuar a ser a mesma, mas está frase só faz sentido se nós não mudamos a vida a alguém as pessoas não são a natureza. É uma escolha nossa, eu quero mudar algo mesmo não sabendo o que, vou lutar para o descobrir. Vou me ir a baixo em tantos momentos, mas sei que me vou levantar e ter os olhos ainda mais bem fixos na estrada que tenho que percorrer. Vou aprender todo o que preciso, para quando morrer alguém dizer o que fiz de bom e mau. Há realidade da vida é está. Sei que possa parecer que possa parecer todo estranho agora, mas espero que daqui uns anos não o seja.

 Só muito insegura em relação a mim própria. Só uma pessoa que adora se isolar do mundo em si e das pessoas, tento fazer sempre o melhor. Mas sei que não o consigo fazer tendo medo de abrir a boca e de não me levantar e fazer o que penso. O meu problema é sobretudo por causa de não me sentir segura em relação a mim própria. Revolta-me tantas coisas que vejo e oiço e tenho um torbulhão de pensamentos acerca disto, tenho algo a dizer sobre isto mas não sei não dá a minha boca não tem um elo comigo. Parece que nasci com este defeito. Mesmo, com está batalha com este mar troacerio onde tenho de percorrer vou chegar ao final, vou fazer algo para não o ser mais. Para conseguir saber o que tenho de fazer, para saber que sou eu a faze-lo e não estou a restringir de nenhuma qualidade minha enquanto o faço.  Não consigo transmitir o que sinto nem mesmo desabafar com as outras pessoas. Odeio tanto a falsidade, a guerra, os densintedimentos. Sinto tanta coisa perante algumas situação, sinto que até podia ser forte no momento e não. Coragem não é algo que me define certamente, tenho uma coragem que se esconde de mim, nas profundezas do meu ser que é muito obscuro ou não. Uma coragem que raro é a situação na qual aparece, adoro-a sentir. Adoro perceber que naquele momento não sou eu a Cláudia insegura que está a falar, mas sim a Cláudia que a sua boca e a sua cabeça tem uma ligação profunda. Luto todos os dias para que está Cláudia apareça muitas mais vezes. Mesmo que não gostes de admitir sou está rapariga, tenho inseguras, tenho defeitos, não tenho um corpo nem perto de o perfeito. Mas estou contente com este ser que sou. Sou nova tenho que me divertir, tenho que fazer todo o que é normal numa adolescente. Com regras.  Não gosto de ser mau educada, nem de ser má aluna.  Não vou restringir de isto por alguém que me deixe influenciar. Por mais que seja ingénua, não sou assim tão manipulável. Mas sim sou ingénua. São os meus próprios princípios, princípios este na qual honro. Tenho medo das consequências, acho que pode ser por isso que tenho medo de dizer o que sinto. Tenho medo de fazer errado, mesmo sabendo que é normal e que todos o fazem. Medo de não ser o que alguém quer que seja. Tenho uma luta constante em perceber quem tenho de ser e quem realmente sinto que sou.

*deve ser um post um pouco estranho, mas estou a expremir o que ando a conter a tanto

Beijinhos da Only one Girl

16
Ago16

Um espelho...

Caminharei por uma porta aberta, uma porta que transmite-me todo o que sinto. A minha porta... Caminho com passos lentos, com calma sem pressas. Caminho por um rumo traçado, por uma longa direção, um sítio escuro que não tenho medo. No final algo sobressai, uma luz rezulante, algo cintilante, aproximo-me com os passos lentos com calma. Sei que não vai desaparecer, por meio da minha cabeça não tenho direção nem confirmação. Em cada passo que rumo até este meio de luz, sinto-me mais segura. A luz avança sobre mim, como alguém que nos abraça. Voa sobre mim. Enrola-me no manto azul cintilante, esquecendo-me completamente do chão preto que pisara a segundos até este rumo. Este manto dirigia-me para o seu lugar, o manto dirigia-me para a sua fonte. A fonte, que quase nós cega, mesmo assim caminho em direção a fonte. É estranho não tenho medo nenhum das consequências de este ato. Nada de mais, é a fonte, um espelho que deu está luz, mas um espelho com algo de diferente, por causa desta luz que remou até ele. O espelho absorveu toda está luz. Agora só resta a luz do espelho e o chão escuro que recreara em momentos. Um espelho especial cintilante, no meio escuro sem luz, nada que faça sentido para os outros mas para mim não podia fazer mais. Mesmo que não saiba porque... Aproximo-me desta fonte de luz que a momentos me transmitia arrepios, calma... Sentia-me reconfortada, mas agora apenas sinto frieza na minha pele, não medo mas algo que é transparente mas que me cobre. Aproximo-me deste espelho, que não é nada demais sem ser um espelho. Reflete a minha imagem como todos. Mas algo no espelho invisível me puxa para ele, não tenho medo desta ligação que o espelho tem sobre mim, caminho sobre ela. Sobre o seu traço que me puxa. Estou a 1 cm do espelho, mas ainda tenho a ligação que quer que toque. Agora tenho medo de tocar, não sei nada do que vai acontecer. Mas mesmo assim, deixo os pés no mesmo sítio. Sem sequer se mexerem. Sinto o meu coração a bater mais rápido e a minha respiração a acelerar. Parece que algo vai acontecer repentino, não tenho pressa para o fazer essencialmente. Sei que o vou fazer, tenho o rumo traçado e quero descobrir o que esconde. Lentamente levanto a mão com cuidade e direciono-a rumo a este espelho. Quando lhe toco sinto uma corrente eletrica. Fico estendida pelo chão, não sei por quanto tempo, mas sei que foi algum tempo... Arcodo, as pestanas não me pesam, não me sinto mal, não sinto essencialmente nada, sorriu sem direção estou bem como a algum tempo já não estava. Mas a há algo de estranho, partes deste vidro navegam sobre mim a minha volta, nenhuma me cortou. Apenas estão a minha volta, sinto um impulso vindo de mim para me pegar num. Pego-lhe, não me corta, não é vidro é algo fofinho. Algo carente, que precisa de ser acarinhado, usado, recordado. Olho para este pedaço e não vejo a minha face, vejo sim uma mémoria minha algo que tive a muito tempo mas que me relembro muitas vezes. É umas das mémorias da minha infância, algo meu.  Não percebo como um espelho consegue transmitir isto. Largo este pedaço como tanto cuidado como se fosse a vida de um bébe... Pego noutro, aspro, na qual me causa tristeza relembra-me não um pensamento nem uma recordação. Mas sim um sentimento, a tristeza.  Navego por cada destes pedados que me relembram coisas, ou me mostram coisas do futuro, este espelho é meu. Parte-se nos mais pequenos pedaços de vidro, que de textura caracterizam o que mostram. A ligação é minha, o espelho é meu. É por isso que cá cheguei. Para recordar todo. Os espelhos aumentam-se na minha mão para me mostrarem algo meu. Este espelho consegue me deixar a viver todos esses sentimentos, memórias com a mesma intensidade. Está sala na qual estou sentada, faz parte de mim consigo perceber. Já não me parece não escura, mas está. Os pedaços de vidro causam as cores que cá emparam, cores prevenientes do que está lá resgistado. Os meus olhos abrem-se, consigo saber exatamente onde estou, no meu quarto, deitada. Depois, de este sonho que sei que mais e mais vezes vai acontecer...

*Acho que isto não fez lá muito sentido, mas foi um pensamento meu que gostei muito de imaginar e acho que até ficou giro.

rgrrgrg.PNG

 Estou nos blog's quentes hoje. Em 4ª lugar, com o post um ano de blogger. Muito obrigada, por tudo :-) São um máximo :-)

Beijinhos da Only one Girl

 

 

 

15
Ago16

1 ano de blogger...

1 ano de blogger. Que me transmitiu tanto, ensinou-em a conhecer-me a mim própria, a escrever melhor, a ser menos percetivel, a viver, a ver o mundo de formas diferentes, um ano de alegria, tristeza, amor e mais tantos sentimentos que sobrevoaram por mim como nunca imaginei, uma ano que os blog's me acompanharam como a palma da minha mão, um ano de todo e mais alguma coisa, um ano que me fez sentir livre, um ano que foi o melhor, uma míuda de de 12 anos que agora tem 13 anos que fisicamente não tem diferenças mas exteriormente todo mudou, os blog's acompanharam este crescimento, repentino ou não, este sossego na minha vida. A euforia que foi este ano. Foi uma no diferente, com que uma destas diferenças foi está. Um ano que estou feliz por ele, que deixei pessoas, mas sei quem sou, uma ano que deu para refletir muito sobre mim um ano feliz e triste. Um ano que tive muitas batalhas para travar mas todo fez mais sentido com as armas que tinha ao lado. Um ano que me faz contente por todo o que cheguei, por quem consegui ser. Estou feliz por este ano e quero mais quero celebrar mais todo fez mais sentido. Tinha um sítio onde me expressar, da forma que queria. Uma no repleto de aventuras e sentimentos mergulhados em mais sentimentos. Um ano que foi um pouco confuso para mim, mas feliz. Um ano que não me arrependo. Um ano que quero que se torne muito mais do que um ano.   Quero recordar este ano com muitos mais anos carregados nas costas na qual espero nunca me arrepender. Um ano de todo, mas um ano na qual não me arrependo nunca :-)

Há um ano a minha cabeça, disse: - Cláudia faz um blog. E fiz em primeiro fiz no blogger, titulado por " Assuntos sobre raparigas" o meu primeiro blog. No blogger. Na qual percebi que gostava de lá escrever, mas não tomava as proporções que queria. Não acabei com ele por causa disto, mas sim por causa de criar um no sapo e este chamava mais o meu nome.  A Raquel é que me disse para criar um no sapo, e impulsiva como sempre o fiz. Mas em tantos impulsos que fiz este foi certo, aqui encontrei o meu sítio. Nasceu o " My dreams" que agora já não está disponível por que já não é meu, já não era um sítio na qual me reconhecia... Custou-me tanto deixar este como o do blogger mas agora vejo que foi o melhor. Acabou com 93 post's, 276 comentários, 108 reações e 7.484 visualizações, neste blog recebi algumas críticas não lá muito boas. E outras apenas construtivas, mas consigo ver que foi todo pelo bem. Agora todo o que escrevo faz completamente sentido para mim, já não caiu nos mesmos erros, mesmo que possa cair em outros completamente diferentes. Levanto-me deles com uma lição... Mesmo encanto tinha o blog " My dreams", eu e a Inês criamos juntas o Our friendships Forever (Nossa amizade para sempre) na qual é verdade e acredito que seja para sempre, na qual tivemos que deixar mas que na qual nasceu o Thought of the day of a Only one Girl, na qual agora não podia estar mais contente. Há textos que cá estão que não fazem muito sentido agora mas já fizeram e os recentes agora já fazem... Andou um pouco perdido... ( já dou uma resolução melhor sobre ele...) Depois de o " My dreams" acabar nasceu o " blog's for girl's" ( Blog para raparigas) um blog de moda e beleza, que partilho com mais  três bloggers que adoro a Inês, a Érica e a Girl... Ainda nasceu o blog Teen fashion que partilho com a Daniela, a Bella e a Érica. Ainda nasceu o blog de entrevistas que partilho com a minha querida Inês, e o blog de Soy Luna que também partilho com a Inês. Como vêm em toda essa experiência de blog's já tive e participo em muitas. Mas não podia estar mais orgulhosa com todo o que aconteceu, o que partilhei, o que me fez ser e o que me fez sentir.

Agora vou vós falar um pouco da história deste blog, acho que sem está paixão de escrever numa forma diferente. Na qual abro a boca e digo agora não estaria a cá escrever. Este blog começou a crescer mais durante as férias como tantos os outros, adorei cá escrever tantas post´s como: Segundos perfeitosThis is moment, the my momentAmor não correspondidoMundo ( meu, crianças, infância) ...Se calhar nunca podia dizer que te ameiPortugal!Batalha de Sentimentos. Post's sobre sentimentos, passado, situações, vitórias, amor... Post's que todos fazem parte de mim escritos com música sempre, como cá o faço. Post's que reconheço com o meu nome. Quando me perguntam alguém sabe do teu blog, na escola? Sim sabe a minha turma toda, não sei se alguns deles estão a ler isto agora, ou simplesmente não o vêm...  Não me incomoda, por que são pensamentos muitos na qual se passa junto deles. Não, eu não conseguia acho que dizer o que aqui digo por meio da minha voz, acho que se for por meio de uma caneta e um papel ou um teclado sim! Mas por boca não, sou demasiado insegura quanto a isto, e posso falar muito mas não sobre essencialmente opiniões e comentários e pensamentos que aqui o faço... Este é o meu lugar para isso... Como cada pessoa tem o seu lugar, a minha escrita ocupa este blog. Escrita que se foi desenvolvendo ao longo dos tempos, escrita essa que me ajuda a perceber a mim própria. Sei que quando me falta perceber algo posso escrever que o percebo. Encessialmente escrevo para mim, escrevo para me perceber. Claro que gosto de ver comentários e favoritos... Mas, o que escrevo é completamente verdade. A minha verdade, a minha história, não podia estar mais grata por este blog por me fazer sentir todo o que escrevo e quer escrever nele...

Quando comecei aqui a escrever adorava ver os post's da pesssoas mais da minha idade... As minhas maiores inspirações eram: a Sofia que conta muito sobre a sua vida mas com o toque dela, na minha opinião é uma blogger e adoro ler todos os post's dela... São mesmo diferentes dos outros. a Joana, não sou tanto do tempo dela escrever no outro blog mas li algumas das publicações passadas e também adorava sem dúvida que eu achava que era um blogger muito boa. A Marta eu achava ela espetacular como ainda acho, dá uma emoção completamente diferente diferentes os textos muitas vezes animava-me ver os post's dela... A Inês, acho que ela tem o melhor blog de moda e beleza, dá umas descrições aos post's muito boas e tem sempre post's muito diferentes dos outros... Também uma blogger muito boa que foi crescendo ao longo do tempo e acredito que vá ter futuro :-) A Raquel, na qual me entusiasmo muito por fazer e não deixar adorava o blog dela... A Lady M. que tem uma visão diferente de todo, mas acho que é muito engraçada e divertida. A Inês, que é e é uma blogger fantástica com textos muito engraçados sobre a sua vida e desabafos que caracterizavam o seu blog... A Mariana e a Jéssica que tem um blog muito engraçado com muitas histórias, já é umas das minhas inspirações um pouco depois mas também muito boas. A Bella que todos devem conhecer, era também uma grande inspiração para mim quando era a Riley, mas ainda o continua a ser. A Bella tem sempre um sentido diferente de ver as coisas e uma opinião mais engrançada. Por fim, a Inês e a Online Girl ( Suicide Squad) eu não me iam esquecer de estas duas meninas para começar sempre me ajudaram em momentos difícies da minha vida tanto como outras bloggers que mencionei. Mas elas sempre me ponham melhor eram e são umas amigas exelentes :-)

Obrigada a toda a gente que fez possível este ano possível tal como: A BarbaraA DanielaA SaraA EricaA ANAA saraNo IndetinyA EmmaA MégA DanielaA MariaMiss Unicorn Smithy e A Carolinapessoas na qual adoro ler os blog's dela. Que tem sempre uma opinião tal como as que etsão em cima nomeadas. 

Tal como também tenho que agradecer os adultos da blogsfera na qual adoro ler os seus post's que dão uma opinião mais certa em todo... Como a: Simple GirlRapaz SecretoSntelaMelhor amiga procura-sePinkFashionLehVihChic' AnaA GajaCarlosMr. HappySofiaGreen. EyesMulaBKikasCatarinaO Paciente ImpacienteSarc(a)casticamenteSr. Solitário são todos pessoas com histórias de vida completamente diferentes, mas que ensinam sempre coisas muito importantes por isso adoro ler os seus blogs :-)

Todos os blog's fazem parte um pouco de mim por que todos me ensinam algo, maneiras de viver, novas formas de ver algo, sentir de diferentes formas... Nos blogs apredendemos tanto... Amizades...

Só queria explicar duas coisas, eu não mudo a imagem de perfil por que é quase igual a mim cabelos castanhos muitos escuros e quando o uso solto uso assim encaracolado faz completamente eu... Como o nome apenas uma rapariga é verdade, mas uma rapariga que quer fazer mais algo do que apenas... Se tiverem alguma sugestão ou assim para eu melhorar não excitem em dizer...

Obrigado por todo :-)

 

*desculpem de ser um testumento mas acho que tinha que expressar todo isto...

*desculpem se me esqueci de alguém

Beijinhos da Only one Girl

 

 

12
Ago16

Segundos perfeitos

Por entre os segundos libertos que olhava pelos teus olhos, os olhos castanhos profundos que por todo me transmitiam calma e paz. Quando não te apercebias, mesmo quando todo dentro de mim me efervescia. As emoções flutuavam sobre mim como nunca sentiria, um rumo tão grande vindo de mim de emoções. O teu toque para mim era como uma corrente elétrica na qual sentiria permanentemente quando me tocavas, não morria com está descarga de energia mas o meu estômago andava completamente as voltas. Eram os segundos mais perfeitos que alguma vez poderia ter tido contigo. Os únicos segundos na qual podia achar que isto podia acontecer para sempre. Segundos esses que recordava com toda a reconstituição do passado, imagens bem nítidas como se fosse o presente que não acontece. Imagens fixas na minha mente, como um post-it bem destacado no quadro de cortiça. Mas depois destes segundos, onde os teus olhos se virarem para o lugar o aposto todas essas emoções saiam ( felizes) e desembarcavam a tristeza o vazio todo o que nesta fase predominava. Quando o teu toque desaparecia da minha pele como água a evaporar, lentamente que julgando por mim me doía. Se de eliminar até presença irregular de segundos. Minutos depois nada mais sentia se não emoções tão fortes como eu própria. Restava-me abanar a cabeça e sacudir os meus cabelos, e integrar-me na conversa que tínhamos ou se não concentrar-me em algo. Mesmo que quisesse ver aqueles olhos castanhos de novo, a sua voz a ecoar-me na minha cabeça e o seu toque que me eloquência. Não o acontecia e era melhor assim. Por alguns minutos deixava de pensar nisto, mesmo me vindo embater com isto de vez em quando... Mas depois todo voltava de novo, a sua voz que me concentrava tanto na qual nem tem descrição quando a voz dele existia as outras apagavam-se do mundo. Tantas vezes me fez sentir um conforto tão mas tão grande uma paz dentro de mim ficava alegre, mas segundos depois o mundo caía me em cima e ganhava empurrava-me destruindo cada órgão dentro de mim, que não me matava nunca. O objetivo em si não era me matar mas me magoar compulsivamente. Era eu que criara todo isto, as emoções todo... Somente tinha eu este poder de acontecer, nada a uma pessoa sem sentimentos por ela o faria acontecer. Não tinha a culpa dos sentimentos que tinha por ti ( mesmo que muitas vezes me parecias que culpavas ). Não era assim tão fácil eliminar tal sentimentos tão fortes. Nem tu de não gostares de mim, por mim naquela altura a tua amizade me restava. Amizade tal que se foi perdendo como algo que tinha fim mas lentamente iam se desaparcendo mesmo sem o saber. Foram estás emoções tais que destruiram está amizade.

*eu sei demasiado lamechas...

Beijinhos da Only one Girl

 

Pág. 1/2

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D