Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

How Everything Changed?

How Everything Changed?

23
Set17

Por entre as paredes que escondiam-me| Capítulo 5

Não valia apena correr, não valia apena tentar atingi-lo saberia que se ele não queria estar ali não estaria, parece que até é estranho mas conhecemo-nos assim ele a fugir de mim como outra vez nos encontramos. Ele estava a tentar, a tentar fazer o que fiz e eu por mais que escondesse sentia que teria de ser eu a salva-lo, naquela noite não preguei olho.

A frase que ele pronunciou com tanta emoção, “eu encontrei tanta luz em ti! Mas eu não posso ter-te não posso!”, ele queria ter-me queria… Eu… Sabia que a minha história com ele era tão maior mas eu namorava com o Jonh e amava-o, esta frase permaneceu na minha mente pela noite inteira. Quando os raios de luz começaram a aparecer iluminando a sala que seria a minha cama por alguns dias comecei a ouvir alguns barulhos da porta de entrada e dirigi-me até lá. Envergava uma t-shirt de cavas brancas e uns calções pretos, saberia que ia ficar com um pouco de frio porque as manhas naquela cidade eram sempre frias, mas não importava-me.

Fitei os olhos dele bem fundo enquanto ele fechava a maçaneta, mas agarrei-a e agarrei também o seu pulso e dirigi-me até ao banco em que ontem passei algumas horas do meu dia (da minha noite mais propriamente).

-Sim? Deixa-me ir dormir, Rita!- disse ele não cheirava a álcool mas sabia que ele não estava propriamente em si, mas nada melhor que uma discussãozinha para o por sóbrio.

- Deixo-te ir dormir? Estiveste a noite toda fora Stephen, toda! Queres o que eu vá dormir para o sofá sem lembrar-me daquela frase que disseste-me?!- desabei eu

-Sim! Sim quero, esquece toda a merd* que eu sou! Esquece simplesmente eu desapareço da vida de toda a gente!- ele ia a descer os degraus mas desta vez não o podia deixar ir, já sabia que já estava bem sóbrio.

-Não Stephen, não, não vou deixar-te ir novamente e não saber de tudo, não vou!- disse eu quase sem folêgo enquanto corria e dizia-o.

Quando cheguei ao alcance dele ele apenas pôs um pé a minha frente que embati com um joelho no chão, mas não ia deixar que algo assim fizesse-o ir. Levantei me novamente e desta vez corri para a frente dele e cerrei os dois punhos e bati no seu peito, dizendo:

- O que se passa comigo, o que se passa contigo? Porque quero tanto aliviar a minha dor de uma vez? Porque queres deixar-me?- disse eu com lágrimas a serem derramadas pela minha face ele apenas abraçou-me fortemente.

-Rita, não vais fazer nada, nada está bem? Está tudo bem, querida. Eu amo-te…- ele disse me aquela frase como se não estivesse em si como se realmente o seu coração estivesse a fala mais alto e eu também respondi-lhe com o coração a falar mais alto

-Beija-me por favor, fa-lo.

Ainda abraçados, ele olhou bem fundo para os meus olhos e soltando-me dos seus braços eu dei-lhe a permissão que procura-la. Quando senti os seus lábios nos meus, parecia que tinha tudo se conectado em mim, lentamente ele agarrou a minha cintura e eu foi puxando-lhe o gorro para o chão e agarrando os seus cabelos. O beijo dele era tão intenso e só queria me fazer deseja-lo ainda mais, queria beija-lo para sempre, ele navegava com a sua língua na minha boca e mordendo o meu lábio. Paramos um segundo para os dois recuperarmos o fôlego mas novamente ele beijou-me.

As suas mãos envolviam a minha cintura delicadamente apesar disso os meus movimentos eram um pouco mais agressivos agarrava-lhe os cabelos com um pouco força, sabia que o fazia ter ainda mais prazer. Os beijos dele e os movimentos eram tão mais livres, agressivos e os do Jonh tão calmos. Mesmo pensando no Jonh não queria parar, o Sthepen fazia-me sentir bem, coisas que o Jonh não sabia fazer-me sentir, e o Sthepen salvou-me.

Quando ele içou-me para por os meus pês na sua cintura eu disse-lhe, “Prometo-te que salveirei-te” ele fitando os meus olhos bem no fundo, apenas disse-me “Se continuares comigo já salvaste-me, és a minha deusa e amo-te”.

Recomeçando novamente o beijo, em poucos segundos o Jonh gritara “Sthepen?”, “És o meu irmão que porra estás a fazer, deves me a mim e tudo a mãe se não estivesses connosco estavas desgraçado como a Rita a querem se matar os dois!!!”

Imagem relacionada

O que acham que vai acontecer ao relacionamento dos dois?

O que acham que a Rita e o Stephen vão lhe responder? O que acham que vai acontecer?

Espero que gostem,

Beijinhos da Only one Girl

2 comentários

Comentar post

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D