Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

How Everything Changed?

How Everything Changed?

11
Nov17

Por entre as paredes que escondiam-me| Capítulo 11 (Penúltimo)

Algo parecia nao estar bem entre o meu cerebro ele estava estranho, mas adormecera antes de tentar perceber.

Quando acordei estava tudo novamente igual, mas ele não estava lá e uma luz negra fazia sentir-se da rua, era a noite portanto. Não estava muito bem, nem em consciência nem em mim. Não sabia nada do que fazer, só queria saber reconhecer a verdade. Algo na minha mente barlhava-me continuamente quem era o meu amor? Quem era eu? O que fazia aqui?

Eu sabia que queria morrer, queria que o obscuro que sentia saísse de mim, mesmo que fosse pela forma mais dolorosa. Não sabia se neste momento, eu poderia resistir a dor que sentia. Todo em mim estava muito baralhado, entre o Sthpen e o Jonh, quem eu amava? Quem eram os meus pais, porque não estavam simplesmente comigo a dar-me a mão!? Eu preciso tanto deles, eu sussuro-lhes a noite mas não ouço nenhuma resposta, nem do céu... Por favor, digam-me o que eu fiz para merecer tudo isto de mau? 

Sthepen... Era quem eu amava... Passei todo o resto da noite em branco, só sabia que não queria mais viver, mas queria-o ver, queria simplesmente o ver. Mas como saberia eu que ele me iria visitar, que se lembraria de mim, quanto tempo eu estaria aqui, será que alguém podia-me socorrer? Quanto tempo é que dormi?

Vi todas as fases do dia, até chegar as nove da manhã, o nascer do céu com cores a sobreporem-se ao azul e negro do céu. Um raio de esperança por cada milhões de raios de desanimo. Como venceria algo assim? A esperança ganhou, mas só mesmo na natureza porque comigo não aconteceria. Ás nove horas, ele chegou, finalmente poderia ter esperado mas ele estava ali bem a mnha frente. O sol já iluminava todo o quarto com tons parecidíssimos, ele envergava uma sweart preta, umas calças e um boné também pretos. Trazia um casaco que parecia de uma rapariga no seu braço, em tons de azul e preto. Ele dirigiu-se a mim com um sorriso:

-Rita...

-Sthepen... Desculpa ontem eu confundi-te com o teu irmão, desculpa-me.

-Está tudo bem, minha princesa.- disse ele beijando-me a cabeça e sentando-se perto de mim.

Um silêncio desconfortável ficou naquele quarto, que supreendentemente tinha sozinha, perguntei-lhe:

-Onde estou?- agarrando nas suas mãos, ele começou-me a fazer festas até finalmente responder-me

-Tu estás num hospício querida, mas esta tudo bem. Vamos ultrapassar, tudo, juntos.- disse ele dando grande superioridade ao tudo- Estará sempre tudo bem se tivermos juntos. Está bem luzinha?

Eu não sabia o que lhe dizer, sabendo tudo o que queria e tinha planos de fazer... Mentir-llhe? Fazê-lo a sua frente? Não sabia simplesmente, mentir-lhe não era justo não depois de tudo o que fez comigo. Eu levantei-me delicadamente para ir a casa de banho, arranquei o suporte que segurava o papel higiénico com toda a minha força. E simplesmente pressionei-o no meu corpo. 

"Eu não conseguia aguentar mais, não sabem o quão díficil é, ás vezes precisamos que mias de uma pessoa nos ame, precisamos de ter amigos e pais, amor de pais. Eu precisava disso. Não sei, mas se calhar foi tarde de mais, mas se calhar nem pensavam-me procurar.

Perdoa-me Sthpen, tu que foste a única pessoa que realmente me amou, perdoa-me

Obrigado por tudo"

Dei-me ao trabalho de o escrever e deixar bem visto, para que houvesse uma explicação.

O resto já sabem, se calhar não ser eu a explicar, o mundo não foi bom para mim. Não consegui simplesmente aguentar.

Resultado de imagem para amor tumblr gifs

Sim é verdade, já é o penúltimo capítulo. Espero que gostem deste hoje.

Sei que é muito grande para o normal, mas na semana passada não consegui desenvolver, o quanto queria,

Portanto hoje é mais :)

Esperavam? O que acham que se vai basear o final?

Faço-vós uma pergunta querem uma outra história aqui no blog?

Beijinhos da Only one Girl

 

2 comentários

Comentar post

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D