Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

How Everything Changed?

How Everything Changed?

09
Nov17

The Pinterest| Favourites pictures of my collection’s #2

Olá :)

Hoje trago-vos um post que trouxe a pouco tempo aqui no blog, mas como gostaram muito trouxe-o novamente com outras coleções que tenho no Pinterest, por isso vamos lá:

1- Esta paisagem é Portuguesa e é uma imagem e uma conexão com a natureza realmente incrível. É a Ilha das Belerngas perto de Peniche e acho que está foto está mesmo qualquer coisa de espetaular. Porque não é a conjugação da rocha, da água e o edíficio que é assim um pouco antigo, está mesmo lindo! ( é da minha coleção "Portugal")

berlengas

2-  Esta imagem acho que está mesmo fofinha, ainda por cima são resumos de um curso que nao importava nada de frequentar: Psicologia, tem os fones que simbolizam a música  e eu adoro mesmo ouvir música enquanto estudo. E depois a vibe em si da fotografia rosinha muito mimosa... Tão querida! Faz parte da minha coleção, "Inspiration Study".

studaeri: “ I’m really sick so no time for study today. This photo is from…

3- Mais uma imagem assim rozinha, neste post estou muito virada para os rosas :D Faz parte da minha coleção, "Food" e eu acredito que isto deve ser super saudável porque tem aspeto, mas também a coisa mais gira do mundo. É uma smothie bowl rosa com muita fruta que adoro e umas trunfinhas que é sempre óptimo!

8,879 Likes, 90 Comments - Smoothie Bowls (@supersmoothiebowl) on Instagram: “Just when you think Samira of @alphafoodie has shared all her best smoothie bowls, she then creates…”

4- Eu sei demasiado rozinha, mas não resisto mesmo a está fotografia. É muito clássico este quarto mas aquela manta de malha rosa e as almofadas cortam um pouco o quarto e não me importava nada de habitar numa beldade destas.  É tudo tão mas tão lindo, desde daquela coisa pendura a manta feita a mão as almofadas incríveis... Faz parte da coleção "Bedrooms".

Escalera para colgar chalinas y otros

5- E para acabar bem também tinha de ser rozinha, beje mais neste caso. Eu adoro tudo neste conjuto até porque eu tenho uns calções e um top muito parecido e adoro. Faz parte da minha coleção, "Look's" :)

Pinterest↠ e_madruga

Espero que tenham gostado deste post, querem que faça uma terceira parte? Qual foi a vossa foto favorita?

Beijinhos da Only one Girl

01
Set17

Chamaram-me doida, e se calhar foi por isso que me abandonaram...

Por entre o ar gélido, do Inverno sombrio que assombrava cair, os flocos de neve navegavam sobre os fios emaranhados do meu cabelo encaracolado. Fechava os olhos, já nada via, a luz tinha sido escondida pela lua que naquela noite não temia em aparecer. Era uma noite sombria, pela gélida Islândia que descreverá o meu sonho. Deixei-me navegar por aquela ondulação do rio a queimar a minha pele do frio, precisava de sentir o gélido Inverno que se iria aponderar pelo meu corpo e mente, prepara-me pela nova etapa...

Não pertencia a lugar nenhum, não podia pertencer a ninguém e ninguém poderia pertencer-me. A natureza negava, tudo negava-me, não era suficientemente "boa" para ninguém mentalmente estava gravado, mas no coração... Ele ainda esperava por uma declaração de amor eterno. Os sonhos flutuavam por mim enquanto aquele rio enorme se a ponderava de todas as minhas energia. Não me deixando sair daquele estado de transe profundo. Sabia que uma luz começara a incidir pelo meu corpo encharcado e os meus cabelos estavam lisos da água, sentia mas não mexia-me.

O Sol começara a nascer e Portugal esperava-me por entre aquela aldeia pequenina que estava entre dois distritos tão grandiosos e assustadores para mim. Lisboa e Leiria, uma imensidão de água que assustava-me, medos distantes atravessaram a minha mente quando pousei na pista do destinado avião, aquele Sol incidente sobre a Primavera de Lisboa que a praia poderíamos passear e nadar. Os meus olhos escorriam quando pisei o que chamara Lar há uns anos, não por saudades, não por nada, mas pelas recordações sombrias que aquele espaço me trazia, pela instituição com gritos de socorro que inundam as paredes, com tantos sussurros a pedir por socorro por aquele quarto tão pequeno.

Nunca senti-me bem realmente em espaço nenhum, aquela gravidade não me compreendia, não compreendia o meu cerébro mesmo prendendo o meu corpo aquela sombria Terra. Eu pedia por socorro todos os dias, lutava todos os dias para expor os meus pensamentos, os meus sentimentos, aplicar o meu cerébro em algo real, que o estimula-se nao algo em que me impuseram e aconselhar, não por pais que abandonaram-me e levaram me para um sítio onde mais gritos meus de sorriso emanavam naquele rio. Chamaram-me doida, e se calhar foi por isso que me abandonaram... 

Resultado de imagem para pessoas flutuando no mar tumblr

Beijinhos da Only one Girl

19
Ago16

Quem realmente sou?

uma rapariga fechada, muito reservada transmito os meus pensamentos por este meio.  Fechada como pôr 4 paredes, mas sim com uns fones e música e os seus pensamentos, que raro é o dia que saem das profundezas do poço de metros e metros que precisam da pressão que não carrego para eles se exporem. Poço este que está cheio do que sou, rosas, animais velozes, animais mansos, todo o que me caracterizar. Aprendi tanta coisas nestes últimos anos da minha vida. É como se tivesse aprendido a andar outra vez, mas sim a andar na estrada que é a minha cabeça, a estrada com que tenho que ter tanta precaução. Não sou ninguém de especial no mundo, como diz uma frase que acho que significa tanto: "Quando vier a primavera Se eu já estiver morto As flores florão Da mesma maneira Que na primavera passada A realidade não precisa de mim Sinto uma alegria enorme Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma". A natureza vai continuar a ser a mesma, mas está frase só faz sentido se nós não mudamos a vida a alguém as pessoas não são a natureza. É uma escolha nossa, eu quero mudar algo mesmo não sabendo o que, vou lutar para o descobrir. Vou me ir a baixo em tantos momentos, mas sei que me vou levantar e ter os olhos ainda mais bem fixos na estrada que tenho que percorrer. Vou aprender todo o que preciso, para quando morrer alguém dizer o que fiz de bom e mau. Há realidade da vida é está. Sei que possa parecer que possa parecer todo estranho agora, mas espero que daqui uns anos não o seja.

 Só muito insegura em relação a mim própria. Só uma pessoa que adora se isolar do mundo em si e das pessoas, tento fazer sempre o melhor. Mas sei que não o consigo fazer tendo medo de abrir a boca e de não me levantar e fazer o que penso. O meu problema é sobretudo por causa de não me sentir segura em relação a mim própria. Revolta-me tantas coisas que vejo e oiço e tenho um torbulhão de pensamentos acerca disto, tenho algo a dizer sobre isto mas não sei não dá a minha boca não tem um elo comigo. Parece que nasci com este defeito. Mesmo, com está batalha com este mar troacerio onde tenho de percorrer vou chegar ao final, vou fazer algo para não o ser mais. Para conseguir saber o que tenho de fazer, para saber que sou eu a faze-lo e não estou a restringir de nenhuma qualidade minha enquanto o faço.  Não consigo transmitir o que sinto nem mesmo desabafar com as outras pessoas. Odeio tanto a falsidade, a guerra, os densintedimentos. Sinto tanta coisa perante algumas situação, sinto que até podia ser forte no momento e não. Coragem não é algo que me define certamente, tenho uma coragem que se esconde de mim, nas profundezas do meu ser que é muito obscuro ou não. Uma coragem que raro é a situação na qual aparece, adoro-a sentir. Adoro perceber que naquele momento não sou eu a Cláudia insegura que está a falar, mas sim a Cláudia que a sua boca e a sua cabeça tem uma ligação profunda. Luto todos os dias para que está Cláudia apareça muitas mais vezes. Mesmo que não gostes de admitir sou está rapariga, tenho inseguras, tenho defeitos, não tenho um corpo nem perto de o perfeito. Mas estou contente com este ser que sou. Sou nova tenho que me divertir, tenho que fazer todo o que é normal numa adolescente. Com regras.  Não gosto de ser mau educada, nem de ser má aluna.  Não vou restringir de isto por alguém que me deixe influenciar. Por mais que seja ingénua, não sou assim tão manipulável. Mas sim sou ingénua. São os meus próprios princípios, princípios este na qual honro. Tenho medo das consequências, acho que pode ser por isso que tenho medo de dizer o que sinto. Tenho medo de fazer errado, mesmo sabendo que é normal e que todos o fazem. Medo de não ser o que alguém quer que seja. Tenho uma luta constante em perceber quem tenho de ser e quem realmente sinto que sou.

*deve ser um post um pouco estranho, mas estou a expremir o que ando a conter a tanto

Beijinhos da Only one Girl

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D